Atuação da Fisioterapia em pacientes com a Doença de Alzheimer











O Alzheimer é uma doença clinicamente caracterizada pela perda progressiva do volume cerebral global – e de funções cognitivas como memória, atenção, concentração e linguagem – e, mais especificamente, de alterações na área do cérebro denominada hipocampo, responsável pela fixação das memórias.

Os pilares do diagnóstico do Alzheimer são: avaliação médica criteriosa, exames de neuroimagem, testes cognitivos para avaliar a memória e outras funções cognitivas. Outros exames, como a coleta de líquido cefalorraquidiano para avaliar biomarcadores, podem ser necessários. Seguir adequadamente as recomendações médicas de tratamento, realizar reavaliações médicas periódicas e orientar adequadamente os familiares sobre todos os contextos possíveis relativos à doença, ensinando-os a lidar com a mesma, são passos fundamentais para uma boa evolução do paciente durante o tratamento.

O Alzheimer não tem cura, mas possui tratamento. Há fármacos de uso consensual para o tratamento da doença, visando atuar sintomaticamente, porém os mesmos infelizmente não interrompem os processos neurodegenerativos associados à doença e que levam ao quadro demencial. O tratamento médico adequado, sobretudo quando iniciado precocemente, faz com que a doença se estabilize ou progrida mais lentamente, permitindo que os pacientes tenham uma melhor qualidade de vida, maior inserção nas atividades familiares e sociais e menos complicações clínicas associadas.

A Fisioterapia na Doença de Alzheimer através de exercícios específicos, pretende evitar ou diminuir complicações e deformidades, manter ou melhorar as amplitudes de movimento, melhorar o equilíbrio tentando prevenir a ocorrência de quedas dos idosos, prevenir os danos motores, melhorar a força muscular, treinar a realização de AVD's tentando prolongar a independência do idoso e melhorar a sua qualidade de vida.

Na fase mais avançada da doença, quando o idoso passa a maior parte do tempo restrito ao leito, a fisioterapia é importante para minimizar as complicações da síndrome de imobilização, nomeadamente os encurtamentos musculares e a perda da força muscular, o aparecimento de úlceras de pressão (escaras), trombose, prisão de ventre e pneumonia, entre outros.

Também tem a função de evitar a atrofia por desuso e fraqueza muscular, evitar contraturas e encurtamento musculares (imobilização no leito), manter ou devolver a ADM funcional das articulações, manter as capacidades funcionais do paciente (sistema cardiorrespiratório), evitar ou diminuir complicações e deformidades, diminuir a progressão e efeitos dos sintomas da doença,

Mantém a independência funcional nas atividades de vida diária. Trabalha os padrões de funcionamento do sistema respiratório (fala, respiração, expansão e mobilidade torácica), treino do padrão da marcha, orientação sobre as posturas corretas, incentiva e promove o funcionamento motor e mobilidade.

Realizar atividades em que se estimule o raciocínio do paciente, como atividades de escrever, decorar palavras, nomear objetos, que levam a um estímulo da memória. Exercícios para propriocepção e equilíbrio são fundamentais para a desenvoltura do paciente, como exercícios com bastões, bolas, descarga de peso gradual e andadores.

O profissional da fisioterapia é de suma importância em todas as fases da doença, tanto para manter o indivíduo mais ativo e independente possível, quanto para melhorar o seu desempenho funcional. É necessária uma avaliação que englobe os aspectos físicos, funcionais e comportamentais do paciente. Identificar as suas potencialidades já que apesar do diagnóstico, os pacientes costumam apresentar muitas habilidades cognitivas, motoras e funcionais nesta fase, precisando ser elencadas, avaliadas e otimizadas para a elaboração dos objetivos fisioterapêuticos.




Capacite-se para atender melhor os pacientes:
  • Anamnese - Passo a Passo para uma boa avaliação
  • Exercícios Físicos no Controle da Dor
  • Liberação Miofascial Instrumental MioBlaster (IASTM) + Ventosas

  • Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

    Quer anunciar neste blog?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

    Quer sugerir uma pauta?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

    Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.