Saiba mais sobre as doenças neurodegenerativas








http://www.regiaonews.com.br/fotos/noticias/rn180494_0.jpg

As doenças neurodegenerativas ocorrem devido à destruição progressiva e, muitas vezes, irreversível de neurônios, responsáveis por algumas funções do sistema nervoso central. Em casos graves, dependendo da doença o paciente perde suas funções motoras, fisiológicas e a capacidade cognitiva. Para reverter ou controlar os sintomas dessas patologias o tratamento é realizado com medicamentos que inibem a destruição dos neurônios afetados.

Além disso, terapias ocupacionais são associadas para ajudar na qualidade de vida dos pacientes. As doenças neurodegenerativas mais comuns são a esclerose múltipla, a doença de Parkinson (DP), o mal de Alzheimer e a doença de Huntington.

A doença de Parkinson (DP), ou mal de Parkinson se caracteriza pela destruição dos neurônios dopaminérgicos, responsáveis pela produção de dopamina, no sistema nervoso, o que causa o famoso distúrbio dos movimentos. Os sintomas mais conhecidos associados à DP são rigidez muscular, tremor, bradicinesia – lentidão dos movimentos, distúrbios de sono e dificuldades na comunicação verbal.

Os pacientes com a doença de Alzheimer, ou mal de Alzheimer, sofrem comprometimentos na memória, falta de compreensão para desempenhar atividades rotineiras e também para se comunicar. É uma doença degenerativa do cérebro e progressiva, seus principais sintomas são confusão mental, mudanças de humor e desorientação no tempo e espaço.

A única que é classificada unicamente como hereditária, causada por uma mutação genética é a doença de Huntington, mal de Huntington ou coreia de Huntington. A patologia afeta o sistema nervoso central provocando movimentos involuntários dos braços, pernas e do rosto. Além disso, afeta as habilidades cerebrais e alguns traços da personalidade do paciente. Como o mal de Alzheimer, esclerose múltipla e a DP, a doença não tem cura e seus sintomas também podem ser minimizados por medicamentos.

Com causa desconhecida como as demais, os pacientes da esclerose múltipla ou esclerose disseminada, apresentam fraqueza e rigidez muscular, dores articulares e descoordenação motora. Classificada como crônica, a doença neurológica também desencadeia dificuldades de movimentos dos braços e pernas. Em alguns casos, causa tremores e formigamentos em partes do corpo.


Capacite-se para atender melhor os pacientes:
  • Anamnese - Passo a Passo para uma boa avaliação
  • Exercícios Físicos no Controle da Dor
  • Liberação Miofascial Instrumental MioBlaster (IASTM) + Ventosas

  • Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

    Quer anunciar neste blog?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

    Quer sugerir uma pauta?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

    Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.