Os principais sintomas do Parkinson -problemas de mobilidade e declínio cognitivo- podem ser atenuados com exercícios físicos. Ao menos dez ...

Atividade física atenua o Parkinson


Os principais sintomas do Parkinson -problemas de mobilidade e
declínio cognitivo- podem ser atenuados com exercícios físicos.

Ao menos dez estudos nacionais e estrangeiros já comprovaram a
eficácia dos exercícios na melhora da qualidade de vida desses
pacientes.

O mais recente foi realizado na Unesp (Universidade Estadual Paulista)
de Rio Claro e será apresentado em junho no 14º Congresso
Internacional de Parkinson e Desordens do Movimento, em Buenos Aires.

Para o trabalho, foram avaliados 34 pacientes durante 18 meses. A
professora de educação física Lilian Gobbi, coordenadora do
Laboratório de Estudos da Postura e da Locomoção da universidade,
orientou exercícios aeróbicos, de força muscular, coordenação motora,
flexibilidade e equilíbrio corporal distribuídos em três sessões
semanais de uma hora.

"Existem treinamentos específicos, como andar na esteira, mas isso é
muito monótono. Por isso, desenvolvemos um programa mais generalista e
com atividades diferenciadas, para estimular a área do cérebro
comprometida", diz Gobbi.

Quando os sintomas da doença aparecem, já morreram 80% dos neurônios
responsáveis por produzir dopamina, um neurotransmissor com papel
fundamental no sistema motor (o mais comprometido pela doença). Uma
das hipóteses é que os exercícios estimulariam os 20% restantes,
aumentando sua produção de dopamina e auxiliando na recuperação de
alguns movimentos.

A melhora é observada em pacientes no estágio de leve a moderado do
Parkinson. "Estágios mais avançados levam a dificuldades motoras muito
grandes e ao comprometimento do controle da postura. Nesse caso, a
intervenção deve ser feita com fisioterapia, visando a reabilitação",
explica Gobbi.

Para a professora, todo doente de Parkinson deve procurar orientação
para se exercitar com o que gosta assim que recebe o diagnóstico.

Fonte: Folha on Line

Conteúdo Programático do curso online Fisioterapia Aplicada a Neurologia  Conceitos básicos de neuroanatomia Revisão anatômica do si...

Curso on line de Fisioterapia aplicada a neurologia



Curso Online de Fisioterapia Aplicada a Neurologia


Conteúdo Programático do curso online Fisioterapia Aplicada a Neurologia


  •  Conceitos básicos de neuroanatomia
  • Revisão anatômica do sistema nervoso;
  • Células nervosas (neurônios, células gliais e controle metabólico);
  • Potenciais de membrana e transmissão de estímulos;
  • Principais vias motoras (trato piramidal, trato rubroespinhal, trato vestibuloespinhal, gânglios da base e alterações do movimento).
  • Neurologia adulta;
  • Considerações sobre a espasticidade e rigidez;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Doença de Parkinson;
  • Traumatismo crânio-encefálico (TCE).
  • Neurologia infantil;
  • Marcos do desenvolvimento motor normal de 0 a 12 meses de vida;
  • Paralisia cerebral;
  • Espinha bífida;
  • Deficiência mental;
  • Avaliação e tratamento;
  • Descrição de testes específicos e de exercícios utilizados dentro da reabilitação neurológica de pacientes paraplégicos e hemiparéticos.















Quer maiores informações sobre esse curso?? Clique aqui para ver o vídeo

*Parceiro

Ataques Epiléticos Epilepsia não é um doença e sim um sintoma que pode ocorrer em diferentes formas clínicas. As epilepsias aparecem, na mai...

Principais distúrbios neurológicos


Ataques Epiléticos

Epilepsia não é um doença e sim um sintoma que pode ocorrer em
diferentes formas clínicas. As epilepsias aparecem, na maioria dos
casos, antes dos 18 anos de idade e podem ter causas diversas, tais
como anomalias congênitas, doenças degenerativas do sistema nervoso,
infecções, lesões decorrentes de traumatismo craniano, tumores
cerebrais, etc.

Cefaléias

São dores de cabeça que podem se propagar pela face, atingindo os
dentes e o pescoço. Sua origem está associada a fatores diversos como
tensão emocional, distúrbios visuais ehormonais, hipertensão arterial,
infecções, sinusites, etc.

A enxaqueca é um tipo de cefaléia que ataca periodicamente a pessoa e
se caracteriza por uma dor latejante, que geralmente afeta metade da
cabeça. As enxaquecas são freqüentemente acompanhadas de fotofobia
(aversão a luz), distúrbios visuais, náuseas, vômitos, dificuldades em
se concentrar, etc. As crises de enxaqueca podem ser desencadeadas por
diversos fatores, tais como tensão emocional, tensão pré-menstrual,
fadiga, atividade física excessiva, jejum, etc.

Doenças degenerativas do sistema nervoso

Diversos fatores podem causar morte celular e degeneração, em maior ou
menor escala, do sistema nervoso. Esses fatores podem ser mutações
genéticas, infecções virais, drogas psicotrópicas, intoxicação por
metais, poluição, etc. As doenças nervosas degenerativas mais
conhecidas são a esclerose múltipla, a doença de Parkinson, a doença
de Huntington e a doença de Alzheimer.

Esclerose Múltipla

Se manifesta por volta dos 25 a 30 anos de idade, sendo mais freqüente
nas mulheres. Os primeiros sintomas são alterações da sensibilidade e
fraqueza muscular. Podem ocorrer perda da capacidade de andar,
distúrbios emocionais, incontinência urinária, quedas de pressão,
sudorese intensa, etc. Quando o nervo óptico é atingido, pode ocorrer
diplopia (visão dupla).

Doença de Parkinson

Manifesta-se geralmente a partir dos 60 anos de idade e é causada por
alterações nos neurônios que constituem a "substância negra" e o corpo
estriado, dois importantes centros motores do cérebro. A pessoa
afetada passa a apresentar movimentos lentos, rigidez corporal, tremor
incontrolável, além de acentuada redução na quantidade de dopamina,
substância neurotransmissora fabricada pelos neurônios do corpo
estriado.

Doença de Huntington

Começa a se manifestar por volta dos 40 anos de idade. A pessoa perde
progressivamente a coordenação dos movimentos voluntários, a
capacidade intelectual e a memória. Causado pela morte dos neurônios
do corpo estriado. Pode ser hereditária, causada por uma mutação
genética.

Doença de Alzheimer

O nome da doença surgiu por causa do neurologista alemão Alois
Alzheimer. Esta doença é uma demência que se manifesta por volta dos
cinqüenta anos e se caracteriza por uma deterioração intelectual
profunda, desorientando a pessoa, que perde progressivamente a
memória, as capacidades de aprender e de falar.

Essa doença é considerada a primeira causa de demência senil. A
expectativa média de vida de quem sofre desta moléstia é entre cinco e
dez anos, embora atualmente muitos pacientes sobrevivam por 15 anos ou
mais.

PS.: Demência senil - forma clínica de deterioração intelectual do
idoso. Cerca de 10% de todas as pessoas maiores de 65 anos sofrem uma
degeneração intelectual significativa.

Através do Alzheiner, ocorre alterações em diversos grupos de
neurônios do córtex-cerebral, é uma doença hereditária, tendo origem
por mutação gênica. É uma demência degenerativa primária ainda pouco
conhecida: pré-disposição hereditária, fatores congênitos,
perturbações metabólicas diversas, intoxicações, infecções por vírus,
etc. Uma anomalia enzimática parece ser uma provável causa que
transformaria, por fosforilação excessiva e inadequada, uma proteína
normal do cérebro (TAU) em proteína anormal (A68) encontrada nos
neurofilamentos encefálicos. Mas todas essas causas ainda são
consideradas hipóteses.

Não existe uma prevenção possível para esta doença. Só um tratamento
médico-psicológico intensivo do paciente, que visa mantê-lo o maior
tempo possível em seu tempo normal de vida. Com a ajuda da família e a
organização de uma assistência médico-social diversificada é possível
retardar a evolução da doença.

Em 1993, a Food and Drug Administration autorizou a comercialização
nos Estados Unidos, do primeiro remédio contra a doença - THA
(tetrahidro-amino-acrime) ou tacrine.

Doenças infecciosas do sistema nervoso

Vírus, bactérias, protozoários e vermes podem parasitar o sistema
nervoso, causando doenças de gravidade que depende do tipo de agente
infeccioso, de seu estado físico e da idade da pessoa afetada.

Diversos tipos de vírus podem atingir as meninges (membranas que
envolvem o sistema nervoso central), causando as meningites virais. Se
o encéfalo for afetado, fala-se de encefalites. Se a medula espinal
for afetada, fala-se de poliomielite. Infecções bacterianas também
podem causar meningites.

O protozoário Plasmodium falciparum causa a malária cerebral, que se
desenvolve em cerca de 2 a 10% dos pacientes. Destes, cerca de 25%
morrem em conseqüência da infecção. O verme platelminto Taenia solium
(a solitária do porco) pode, em certos casos, atingir o cérebro,
causando cisticercose cerebral. A pessoa adquire a doença através da
ingestão de alimentos contaminados com ovos de tênia. Os sintomas são
semelhantes aos das epilepsias.

Esclerosis Multiple

Esclerose Múltipla desenhada


Neurônio é uma célula especializada. Ele é diferente da maioria das outras células do corpo humano porque apresenta extensões que realizam f...

O que é um neurônio?




Neurônio é uma célula especializada. Ele é diferente da maioria das outras células do corpo humano porque apresenta extensões que realizam funções especiais.


O propósito de um neurônio é carregar um sinal (impulso nervoso) para outros nervos ou células. Para isso, eles precisam saber exatamente em que direção enviar o sinal, usando suas extensões.

Suas duas extensões são chamadas de axônio e dendrito. Um neurônio pode ter vários dendritos, mas tem apenas um axônio. Um neurônio sempre recebe um sinal através do seu dendrito, e o carrega para uma outra célula através de seu axônio.

O neurônio tem vários dendritos e apenas um axônio porque um nervo recebe muitos sinais de uma vez, mas transmite apenas um para uma outra célula específica, como por exemplo para um músculo, órgão ou até para uma outra célula nervosa a fim de continuar transmitindo o sinal através do corpo.

Postado por Dani Souto - Email: danisouto@gmail.com


A seqüência de Möbius (SM) consiste de paralisia congênita dos VI e VII pares cranianos, além de outros freqüentemente envolvidos(1-7). Essa...

Seqüência de Möbius



A seqüência de Möbius (SM) consiste de paralisia congênita dos VI e VII pares cranianos, além de outros freqüentemente envolvidos(1-7). Essa embriopatia cursa comumente com malformações dos membros e de estruturas orofaciais(8-10).
A incidência da SM no Brasil aumentou devido ao uso do misoprostol, análogo da prostaglandina E1, como abortivo no primeiro trimestre de gestação(9-14).
A etiologia da SM pode estar relacionada à insuficiência vascular uteroplacentária na organogênese, levando a agenesia de núcleos dos pares cranianos, lesões supra e pós-nucleares(15-18). Em relação ao misoprostol, observa-se forte ação uterotônica, comprometendo a circulação fetal(6). As alterações fenotípicas dependem do local isquemiado(9-10,14).

Regressão prematura, obstrução ou ruptura das artérias trigeminais, antes do estabelecimento sanguíneo suficiente do tronco cerebral pelas artérias vertebrais, ou obstrução das artérias vertebrais ou basilares, são prováveis causas da SM(16,18-19).
Entre os fatores causais estão: uso de drogas, ruptura prematura da membrana amniótica, hipertermia, hipotensão grave, cirurgia uterina prévia, choque elétrico e falha na tentativa de aborto(1,7,13,15-16,19-20).

A SM é descrita como esporádica(5). Fatores genéticos são aventados, incluindo padrões autossômicos dominantes, autossômicos recessivos e recessivos ligado ao cromossomo X(5-7,15,19-21). Estudos de genética têm sugerido dois loci para a SM: 1p22 e 13q12.2-13(5-6).

Não há predileção por raça, localização geográfica ou sexo(6-7,20). O risco de recorrência para casos isolados "clássicos" é em torno de 2%(7,20,22-23).

A condição pode ser diagnosticada ao nascimento, manifestando-se por incapacidade de sugar e fechamento incompleto das pálpebras durante o sono. Mais tarde, nota-se que acriança não sorri, apresentando aspecto de "face em máscara"(7,9,20-21). Estrabismo convergente, incapacidade de movimentar lateralmente os olhos, paralisia e hipoplasia da língua são também observados(3). Dificuldades na ingestão e deglutição são geralmente acentuadas, sendo agravadas por malformações do palato e problemas dentários, levando ao atraso no desenvolvimento dessas crianças. Problemas auditivos e da fala ocorrem com freqüência(9,12). Alguns portadores de SM apresentam apnéia, por dano dos centros geradores do impulso respiratório localizados junto ao núcleo do VI par craniano(2). A inteligência é geralmente normal, mas são encontrados graus variados de deficiência mental (DM) em cerca de 10 a 50% dos pacientes(4,7,19), bem como casos de psicose infantil(15) e autismo(3,24-26).

Dentre as anomalias associadas, as malformações esqueléticas são as mais comuns, podendo apresentar alterações como pé torto congênito (PTC), polidactilia, sindactilia, braquidactilia, encurtamento dos dígitos, fusão das falanges, artrogripose congênita e luxação congênita do quadril. A SM pode estar associada com: anomalia de Klippel-Feil, síndrome de Kallman, síndrome de Hanhart e síndrome de Poland(4,7-9,12,15,21,23,27-33). O PTC tem como característica a deformidade em eqüinocavovaro-aduto-supinado, uni ou bilateralmente, sendo a alteração ortopédica mais freqüentemente encontrada(7,20,27,34).
O diagnóstico diferencial é feito com uma série de doenças que cursam com alterações faciais, tais como: síndrome de Claude Bernard-Horner, apraxia ocular de Cogan, síndrome de Duane, síndrome acro-oral, distrofia muscular fáscio-escápulo-umeral, distrofia miotônica infantil e doença de Charcot-Marie-Tooth(7,15,20).

O objetivo deste estudo foi avaliar a incidência das anomalias ortopédicas em portadores de SM em nosso meio, além de investigar possível associação dessas anomalias nos pacientes cujas mães fizeram uso ou não de misoprostol durante o primeiro trimestre da gravidez.


Escrito por médicos famosos por suas observações em crianças com paralisia cerebral, este livro descreve o desenvolvimento motor em diferen...

Desenvolvimento Motor nos Diferentes Tipos de Paralisia Cerebral



desenvolvimento+motor+nos+diferentes+tipos+de+paralisia+cerebral

Escrito por médicos famosos por suas observações em crianças com paralisia cerebral, este livro descreve o desenvolvimento motor em diferentes tipos de paralisia cerebral.
Ele é extremamente útil para fisioterapeutas e neurologistas pediatras voltados para a avaliação e tratamento de tais crianças.


Faça Fisioterapia