Bobath e o Sistema Nervoso Central









O método Bobath consiste em movimentos passivos e ativos, onde apenas estes oferecem sensações para que o paciente aprenda os movimentos voluntários. Dentre as indicações para o método estão: melhorar o controle postural e a simetria corporal, alongar músculos, dar maior propriocepção articular, adequar o tônus muscular, estimular reações de proteção e de equilíbrio, realizar a dissociações de cinturas e aprimorar a deambulação.

Bobath afirma que o SNC é um órgão de reação e não de ação, ou seja, ele responde a partir dos estímulos internos e externos ao corpo que lhe são oferecidos. Uma ação é escolhida a partir de circuitos já existentes e que são aprendidos e controlados no interior do cérebro.

Acesse o blog da Fisioterapia

As células do SNC podem tanto excitar quanto inibir uma determinada atividade, facilitando atividades úteis e impedindo movimentos indesejados. O processo de aprendizagem e a prática na reabilitação terão resultados a partir da estimulação, inibição ou facilitação. Sendo assim, a plasticidade do SNC e a eficácia no tratamento de reabilitação serão maiores quanto maior for a capacidade de aprendizagem do indivíduo.

Os circuitos de controle do SNC que permitem realizar determinadas atividades são facilitados por repetições, e armazenadas. Como o SNC percebe mais do que produz, o ser humano depende da repetição de estimulações sensitivas, mas se houver dificuldades nessa percepção podem ocorrer dificuldades em situações de comunicação e desenvolvimento adicionais. Quando um movimento é repetido, ocorre uma redução na resistência sináptica onde passam os potenciais elétricos necessários para a realização do mesmo. Sendo assim, o movimento é facilitado e as fibras nervosas que não foram solicitadas para esse determinado movimento são inibidas, ocorrendo um armazenamento da função que estará disponível para um processo automático ou voluntário posterior. Como o paciente com lesão cerebral apresenta uma interrupção nos circuitos de controle da reserva de hábitos e experiência, o tratamento dos mesmos deve estar direcionado para desbloquear os circuitos que ainda não foram atingidos pela doença através de atividades que o paciente já realizava antes da lesão facilitando a lembrança do movimento (DAVIES, 1996).

O tratamento com o Bobath varia de acordo com a condição em que o paciente se encontra, flácido ou espástico. Para ajudar o paciente a realizar o movimento normal o fisioterapeuta mantém um contato manual através dos pontos chaves, que geralmente encontram-se próximos a união dos esqueletos apendicular e axial, a fim de facilitar o estímulo aferente normal e o tônus postural, tendo como consequência os padrões de movimentos normais.

Foi desenvolvido para pacientes com:

  • Disfunções neurológicas (AVC, Paralisia Cerebral, Patologias Motoras)
  • Traumatismo craniano
  • Esclerose múltipla
  • Lesão medular
  • Sindromes Genéticas
  • Esclerose Lateral Amiotrófica

Alguns equipamentos podem ser utilizados no tratamento dos pacientes através do Bobath como a bola suíça, rolo, andador e espelho. A escolha desses irá depender do quadro apresentado por cada paciente.



Capacite-se para atender melhor os pacientes:
  • Anamnese - Passo a Passo para uma boa avaliação
  • Exercícios Físicos no Controle da Dor
  • Liberação Miofascial Instrumental MioBlaster (IASTM) + Ventosas

  • Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

    Quer anunciar neste blog?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

    Quer sugerir uma pauta?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

    Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.