Pesquisa: Distrofia muscular traz impactos ao sistema nervoso central








A distrofia muscular de Duchenne é uma doença genética que leva à degeneração progressiva e irreversível dos músculos esqueléticos, provoncando fraqueza muscular generalizada.

Uma recente pesquisa do Instituto de Biologia da Unicamp indica que a evolução da doença provoca alterações importantes no sistema nervoso central, o que pode piorar o quadro clínico e agravar os seus sintomas.

Os pesquisadores acreditam que o emprego de medicamentos com potencial neuroprotetor pode contribuir para uma melhor adaptação do sistema nervoso central às alterações musculares durante o curso da doença, amenizando os seus sintomas.

Nesse sentido, o grupo testou um fármaco em camundongos e verificou que ele diminui a inflamação na musculatura e a velocidade com que as fibras musculares degeneram ao mesmo tempo em que, até certo ponto, preserva a integridade do sistema nervoso.

Paralelamente, o medicamento estimula a formação de células-tronco na medula óssea, que podem migrar para os sistemas muscular e nervoso.

Os autores ressaltam que essa terapia não trata a doença em si, mas pelo menos constitui uma estratégia para amenizá-la tanto nos efeitos musculares quanto nas repercussões no sistema nervoso.




Capacite-se para atender melhor os pacientes:
  • Anamnese - Passo a Passo para uma boa avaliação
  • Exercícios Físicos no Controle da Dor
  • Liberação Miofascial Instrumental MioBlaster (IASTM) + Ventosas

  • Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

    Quer anunciar neste blog?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

    Quer sugerir uma pauta?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

    Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.