Marcha nas Afecções Extrapiramidal:


>



Marcha Parkisoniana

A marcha se faz em bloco, pois o paciente encontra-se rígido. A rigidez muscular generalizada torna difícil o início da marcha, dando a impressão de que o enfermo se acha preso ao solo. Às vezes, só após algumas tentativas consegue iniciar a marcha, que se realiza em passos curtos com a cabeça e o tórax inclinado para frente. Os antebraços e os joelhos rígidos em discreta flexão. Não há o balanço dos braços como na marcha normal.

Marcha Coréica

Marcha com passos irregulares e inseguros, como movimentos involuntários do tipo dança, arrítmicos e aperiódicos, com predomino nas extremidades distais dos membros, mais nos superiores, é que se acentua quando o doente faz meia volta.

Marcha de Dromedário

Encontrada na distonia muscular deformante, como conseqüência das posições anormais determinadas pela flexão do quadril, lordose e escoliose lombar com proeminência das nádegas.


  • Kit 3 em 1: ebooks de fisioterapia hospitalar, testes ortopédicos e exercícios funcionais por R$ 39,90
  • Cursos e Ebooks de Fisioterapia
  • Drive Virtual com artigos Científicos

  • Marcha nas Afecções Extrapiramidal: Marcha nas Afecções Extrapiramidal: Revisado by Faça Fisioterapia on 07:50 Nota: 5