Má postura, rotina agitada, sedentarismo e excesso de peso estão entre as principais causas das dores nas ...

Dor ciática é um sintoma derivado de outro problema


http://belezanaturalmentesaudavel.com/wp-content/uploads/2014/05/ci%C3%A1tica.jpg

Má postura, rotina agitada, sedentarismo e excesso de peso estão entre as principais causas das dores nas costas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 85% da população sofre ou ainda vai sofrer desse mal moderno. Além de prejudicar a qualidade de vida, as dores nas costas representam um impacto socioeconômico importante.

Saiba mais sobre Hérnia de Disco

Conheça o Faça Fisioterapia

A dor no nervo ciático, muitas vezes confundida com doença, é na verdade um sintoma derivado de outros problemas. Em aproximadamente 90% das vezes, as dores são causadas pela hérnia de disco, pela ruptura ou pelo deslocamento dos discos. Os outros 10% podem ser causados por espasmos ou fadiga de músculos da região do glúteo. Esses problemas são criados pela repetição de atividades físicas pesadas e posturas incorretas.

Localizado entre a região lombar e a parte mais baixa das pernas, passando pelas nádegas, o nervo ciático é o que tem a estrutura mais longa do corpo humano. Ele é responsável pela sensibilidade, mobilidade e articulações dos membros inferiores. Quando há uma inflamação ou compressão nesse nervo, pode ocorrer a dor ciática. Quem sofre com ela geralmente reclama de fisgadas, queimação e formigamento na região afetada. Em alguns casos, a dor é tão forte que a sensibilidade da perna diminui ou a pessoa não consegue se mexer.

Na maioria dos casos, há um aumento gradual da dor, que pode piorar depois de ficar em pé ou sentado por muito tempo, durante a noite, ao espirrar, tossir ou rir ou ao se dobrar para trás ou andar por muito tempo. A dor ocorre mais frequentemente de um só lado, mas pode aparecer nas duas pernas. O exame clínico bem feito é fundamental para identificar a causa da dor ciática. Existem exames específicos que determinam as causas suspeitas. Eles podem mostrar reflexos anormais ou ausentes, ou fraqueza ao dobrar o joelho ou ao movimentar os pés.

Como a dor ciática é um sintoma de outra doença, o tratamento deve ser direcionado à causa identificada. É muito comum o paciente ser tratado somente dos sintomas, mas a causa continua presente levando esse paciente a novos episódios de dor e recorrências em curto espaço de tempo. Por isso, um tratamento com medicamentos prescritos por médico, juntamente com a fisioterapia para descompressão da raiz nervosa, garantem o sucesso de todo o tratamento.

O tratamento deve ser direcionado, tendo como objetivo descomprimir esse nervo através de procedimento fisioterapêutico não convencional, que utiliza aparelhos modernos de tração eletrônica e descompressão dinâmica, além das principais técnicas de terapia manual. Em conjunto são realizados exercícios terapêuticos de estabilização estática e dinâmica para o fortalecimento da musculatura, a fim de evitar novos episódios. O principal objetivo de um tratamento especializado é reabilitar o corpo como um todo e apenas 10% dos casos são cirúrgicos.

Nosso Sistema Nervoso é composto basicamente pelo cérebro, a medula espinhal e uma extensa e rede de nervos periféricos. Esses nervo...

Saiba mais sobre a neuropatia periférica e formigamento nos pés


Nosso Sistema Nervoso é composto basicamente pelo cérebro, a medula espinhal e uma extensa e rede de nervos periféricos. Esses nervos trazem toda a sensibilidade para o cérebro e levam todas as ordens motores do cérebro para os músculos.  Quando a função do nervo está alterada surgem formigamentos, dores em choque, perda de sensibilidade e até fraqueza muscular, em alguns casos. Reconhecendo o problema no início podemos estabelecer a causa da disfunção e evitar um dano irreversível.

Os nervos são estruturas bastante sensíveis e podem ser comprometidos por trauma, medicamentos, uso de álcool, doenças sistêmicas como a diabetes, o hipotireoidismo, além de doenças genéticas e infecciosos. Um diagnóstico preciso exige uma investigação abrangente e precoce, a fim de evitar uma sequela neurológica.

O problema pode ocorrer em qualquer idade, mas as causas mais comuns ocorrem acima dos 40 anos. Os sintomas são variáveis de acordo com a causa e a intensidade. O mais típico é o aparecimento bilateral e simétrico de alteração sensitiva iniciando nos pés e subindo, como um formigamento ou perda de sensibilidade. No entanto, existem formas com atrofia e fraqueza, assimetria, ou mesmo começando nas mãos.

O quadro pode ser agudo, evoluindo em alguns dias, ou mais crônico, piorando em meses a anos. Muita gente deixa passar os sintomas iniciais e só procuram ajuda quando apresentam dificuldade para andar, feridas no pé (que não tem mais sensibilidade) ou quando os membros superiores são acometidos. Nestes casos, a recuperação pode não ser mais a mesma. A neuropatia periférica, que é como chamamos o conjunto de doenças do nervos periféricos é geralmente a ponta de um Iceberg, vem sinalizar uma doença oculta, como a carência de vitamina B12, um problema de tireoide, a presença de um medicamento tóxico, uma diabetes mais avançada, um tumor oculto, etc. Vale muito a pena procurar o Neurologista na fase ainda de formigamentos para tentar barrar o processo e auxiliar o corpo como um todo.

Para investigar a causa são geralmente necessários exames de sangue e, eventualmente, um exame chamado eletroneuromiografia (este estuda a condução elétrica do nervo e visa identificar o tipo, a distribuição e a intensidade da lesão).

O tratamento é dividido em 4 medidas principais:

1-    Tratar a causa  (30% das vezes a causa pode permanecer obscura)

2-    Medicamentos para reduzir sintomas (formigamento, por exemplo)

3-    Reabilitação física especializada

4-    Cuidados com o membro afetado

Trata-se de um problema de fácil percepção, investigação e com tratamento efetivo (principalmente em casos iniciais e com causa reconhecida).

Faça Fisioterapia